Adil Vieira esclarece polêmica de projeto do reajuste dos professores e mostra que a solução contra o abate na moita já existia e não foi respeitado

A violência no município foi o primeiro assunto da fala do vereador Adil Vieira, que lembrou do papel do poder público de informar à população o que tem sido feito em termos de segurança pública.

Adil também falou sobre os gastos com divulgação por parte do município, lembrando que há muitas campanhas de divulgação que precisam ser feitas, nas várias secretarias.

Lembrou a presença dos professores e pediu desculpas à categoria em nome da gestão por não ter conhecimento sobre certas partes do projeto. “Para quem tem costume nessa casa, toda vida que vem um projeto, ele tem na parte final, a revogação de outros artigos, por isso ninguém se preocupou em ler tanto”, explicou o vereador sobre a polêmica do projeto de reajuste dos professores no município. Na sequência Adil explicou que o projeto vai voltar refeito para garantir os direitos dos professores.

Seguindo sua fala, Adil lembrou que o problema do abatedouro teve um acordo acertado anteriormente, em diálogo com os comerciantes, porém algumas pessoas alegaram que estariam sendo prejudicadas por estar cumprindo o acordo. Segundo o vereador enquanto alguns cumpriam o acordo de abater em Iguatu, em veículo pago pela Prefeitura, outros abatiam na moita e vendiam a carne mais cedo. Assim, quem cumpria o acordo chegava com a carne para ser vendida depois das nove da manhã e não tinha para quem vender pois, quem abatia na moita tinha a vantagem de vender mais cedo. Adil falou também que é preciso procurar uma solução alternativa para o caso, já que ainda falta muito para a conclusão da obra.

Para encerrar, Adil se dirigiu ao vereador Chico Ribeiro pedindo calma e paz ao vereador, destacando as qualidades dele.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *