Chico Ribeiro protesta contra o processo movido contra seu filho e denuncia colegas

Protestou pelo fato do filho estar sendo processado pelos vereadores e se condenado terá que pagar 40 mil reais de indenização a cada parlamentar que participa da ação. A causa, segundo o vereador, foi devido aos vereadores não “terem gostado de algumas postagens” de Douglas Ribeiro, filho de Chico Ribeiro, onde ele criticava a postura de alguns vereadores e o presidente desta Câmara.

Segundo ele, seu filho “não cometeu nenhum crime a não ser falar o que todo mundo do Quixelô diz”. Falando para a vereadora Verilândia Guedes lembrou do caso da iluminação das quadras da região do Gaspar. Dirigiu-se ao vereador Gílson Pereira e afirmou não ter mais respeito por ele. Lembrou que se seu filho não for condenado, Douglas, poderia processar os vereadores e nesse caso o “feitiço viraria contra o feiticeiro”.

Acusou a Loura de multá-lo em Iguatu por ele ter estacionado rapidamente em local não permitido. Logo em seguida questionou a vereadora perguntando o que ele (Douglas) havia feito contra ela a ponto dela tê-lo processado. Denunciou que Natália Gomes, sobrinha da prefeita Fátima Gomes e sua chefe de Gabinete em 2017, havia “ameaçado Douglas Ribeiro de morte e que ele estava ‘bom’ de levar uma surra”. Exaltado o vereador disse que “se tirasse a vida do filho dele, poderia esperar que Quixelô viria de água abaixo”.

Reclamou que existem pessoas que ficam denegrindo a imagem dele nas redes sociais “contra o vereador mais votado do Quixelô, do Ceará e o 6º. Mais votado no Brasil”.

O vereador Chico Ribeiro denunciou ‘mamatas’ onde vereadores teriam recebido ‘por fora’ cerca de R$ 500,00. O vereador afirmou que “recebeu essa quantia e em seguida abandonou o grupo”, pois segundo ele “não teria a cara de ser vendido por mil reais”. O vereador acusou o colega Gílson Pereira de ter recebido R$ 500,00 e votado contra a aprovação das contas de Gílson Machado. Segundo o vereador ele negou-se a receber o valor pois “não votaria contra as contas de Gílson; não compartilha disso”.

O vereador disse que a partir daquele dia vai levar a vida pessoal dos colegas para a Câmara como forma de retaliação por conta do processo. Pediu que não mexessem com seu filho. “O político não são os meus filhos. O político sou eu, Se vocês quiserem arrochar, que me arrochem. Que botem prá torar, que o velho aqui tem café no bule”.

O vereador pediu que a prefeita gastasse o dinheiro que paga para falarem dele, “o certo seria comprar remédio, consertar a ambulância, mas ela não vai fazer” (disse Chico Ribeiro). O vereador recomendou que a prefeita fizesse uma plástica, pois “eu sou um velho e feio, mas sou um velho bom, mas ela (a prefeita) não vai ficar mais bonita e você é uma velha feia e ‘mau’”. Concluiu o vereador.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *