Verilândia Guedes rebate Chico Ribeiro e diz que a tribuna não deve ser usada para tratar de vida pessoal

Lembrou a morte trágica da vereadora do PSOL – Marielle Franco e a luta da mulher para viver em um mundo menos violento. Destacou as festividades pelo Dia Internacional da Mulher e a visita do deputado estadual, Elmano de Freitas (PT).

Pediu a reparação da estrada do Cunhã Poti onde as chuvas romperam a estrada tornando-a intransitável. A vereadora questionou a denúncia do vereador José Matias informando que o esposo da sobrinha da prefeita que também é guarda esteve trabalhando no hospital.” Será que ele também foi perseguição? Não! Foi rodízio mesmo”. Afirmou a vereadora.

Verilândia corrigiu a informação do vereador Chico Ribeiro sobre a iluminação dos campos de futebol esclarecendo que deteve-se apenas no campo do Gaspar. “Eu acho que aqui é um lugar onde nós tratamos das coisas que interessam ao município e não para tratar de coisas pessoais. Eu não citei nada contra ninguém. Eu não me incluo em nenhuma mamata como o colega citou aqui ter participado. Se eu digo que não faço, eu não faço”. Enfatizou a vereadora.

Neste momento o discurso da vereadora foi interrompido pelo filho do vereador Chico Ribeiro, o enfermeiro Douglas Ribeiro que questionou a ausência dela em sala de aula. A vereadora afirmou que segue o calendário de aulas normalmente e que às sextas tem o seu dia de planejamento conforme estabelece a Secretaria de Educação de Quixelô.

 

O presidente em exercício pediu a palavra e reclamou das interrupções de Douglas Ribeiro. O clima foi ficando tenso. Chico Ribeiro pegou o microfone e disse que iria falar e diante da insistência o presidente da sessão disse que “o Chico Ribeiro teve seu tempo para falar sem ser interrompido e que ele respeitasse o tempo dos demais colegas”. Ao não atender o pedido, o presidente da sessão – vereador José Francisco – pediu que cortassem o microfone de Chico Ribeiro.

Verilândia Guedes voltou a afirmar que “este tipo de comportamento é incompatível com a finalidade da Câmara Municipal. Essas baixarias têm que acabar e que problemas pessoais e vida pessoal sejam mantidas fora da Câmara”. Finalizou.

O vereador José Matias pediu reunião urgente para tratar desse assunto pois o clima está ficando cada vez mais tenso e as sessões não para discutir problemas que podem ser resolvidos em reunião entre os vereadores.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *